Philips-DesignLine-55

Smart TV com visual arrebatador – Foto: Divulgação

Na manhã de hoje, em uma coletiva à imprensa no Instituto Europeo di Design, a divisão de TVs da Philips apresentou seu maior lançamento do ano, a belíssima Philips DesignLine (modelo 55PDL8908).

Quem explicou em detalhes a ousadia do visual da TV foi o chefe de design da TP Vision, o executivo Rod White. Na concepção dele, o objeto que tem um design disruptivo é lembrado e reconhecido, mesmo que tenham se passado 20 anos. A tecnologia é importante, mas seu papel está restrito a ser um dos pilares do produto (a tecnologia habilita, não é um fim em si). Para White, a longevidade de um produto é definida por um design relevante. Nas palavras dele, “Great design is here to stay”. White apelou até para um neologismo para descrever qual é o papel do design: “Emorational Degin (Emotion + Rational Design)”.

Rod White Philips

Rod White demonstrando como a TV se integra com o ambiente – Foto: Reprodução/Philips Brasil

Com as tendências estéticas, a Philips almeja encantar os consumidores do tipo “curador”. Isto é, o consumidor que coleciona e compartilha experiências (obviamente usando as mídias sociais como canal). Em um horizonte mais amplo (mencionaram a visão de futuro para 2050), a Philips quer se posicionar como motor de tendência social. Neste ponto, a tecnologia estará integralmente conectada ao ambiente, com paredes inteiras com função de display inteligente e outros produtos interconectados.

Detalhes da nova TV

A DesignLine tem 1,4 m de altura e tem a superfície frontal inteira em uma peça única de vidro. Um gradiente preto para transparente na parte inferior do vidro promove integração visual com o ambiente.

Para melhorar a experiência, nas laterais e no topo da área reservada para o display há um conjunto de LEDs RGB controlados por software, tecnologia conhecida como Ambilight. A espessura da tela não é maior que meu dedo indicador (de 2 a 3 centímetros). Há um volume a mais na traseira, onde está o coração da TV, as conexões e o suporte que a prende na parede. Neste conjunto estão um subwoofer e duas caixas de som totalizando 30 Watts de potência.

Ela foi projetada para ser fixada na parede e a base pode ou não repousar no chão. Se repousar no chão o ângulo de visão é ideal para o sofá. Rod White adiantou para INFO que teremos um suporte extra, caso a superfície seja áspera ou irregular. Sobre a proteção da tela, ele ainda mencionou que se alguém bater com uma marreta no vidro, ele obviamente quebra. O vidro é temperado e bem resistente, mas não inquebrável. Então, dependendo da situação, vale pendurar a TV na parede.

O modelo de 55 polegadas apresentado tem resolução de 1.920 por 1.080 pixels, com melhorias no controle de iluminação (1.400 Hz). Na prática isso realça as bordas e torna os movimentos mais realistas. Há suporte a 3D ativo e dois óculos fazem parte do pacote.

Controle-Remoto-Philips

Controle com acelerômetro tem mesmo acabamento da traseira da TV – Foto: Divulgação

Nas conexões ela é bem servida. Detalhe interessante, já presente em outras linhas da Philips, é o suporte a Miracast. Tecnologia que liga sem fio o smartphone ou o tablet Android com a TV (versão do sistema 4.0 ou superior). Luis Bianchi (SmartTV) e André Romanon (TVs) apresentaram o recurso em um Google Nexus 4 (no LG Optimus G falhou na primeira tentativa, mas depois funcionou).

Uma novidade que foi apresentada por eles também chamou minha atenção. O controle remoto que vem com a DesignLine tem um teclado QWERTY na traseira, separado em dois (você o segura como um controle de vídeo game e tecla com os polegares). O controle tem ainda um ponteiro de mouse, cujo movimento é detectado por um acelerômetro. Ele também funciona com a linha 7000 e 8000 da Philips, mas é vendido à parte por 99 reais.

A TV chega ao mercado em Outubro, pelo preço de R$ 9999. Na Revista INFO de Outubro, edição especial Guia Tech, você confere o resultado da bateria de testes com a Philips DesignLine.

Pin It on Pinterest