Talvez nem a própria empresa estivesse esperando por isso, mas a Linux Foundation divulgou recentemente a lista dos maiores maiores contribuidores com desenvolvimento do kernel Linux e, por incrível que pareça, a Microsoft aparece entre os vinte primeiros, mais precisamente, na posição de número 17.

De acordo com o relatório, a participação da Microsoft corresponde a pouco mais de 1% de todas as contribuições efetuadas ao Linux entre as versões 2.6.36 (lançada em outubro de 2010) e a versão 3.2 (disponibilizada em janeiro de 2012). De certo que há outras empresas com participações maiores, como Google, Intel e IBM, mas mesmo assim a presença da Microsoft não deixa de ser relevante.

O vídeo a seguir explica de maneira ilustrada como o desenvolvimento do Linux é feito (em inglês):

Apesar da surpresa, o envolvimento da Microsoft em iniciativas de código aberto não é novidade. Há tempos que a companhia contribui com determinados projetos do tipo, tudo para garantir a interoperabilidade entre outras plataformas e seus produtos, uma decisão muito mais sensata do que simplesmente atacar um modelo de negócio “rival”, como aconteceu em sua história.

Curiosamente, a Canonical, empresa responsável pelo Ubuntu, uma das mais populares distribuições Linux da atualidade, foi questionada por colaborar muito pouco com o kernel. Em relação a este aspecto, Mark Shuttleworth, fundador da empresa, explicou que isso acontece porque o foco da Canonical está no desenvolvimento de recursos para os usuários finais.

O relatório completo da Linux Foundation está disponível em go.linuxfoundation.org/who-writes-linux-2012 (em inglês e formato PDF).

Referências: The Linux Foundation, ZDNet.

Notícias relacionadas: Bancos e operadoras de telefonia foram as empresas mais reclamadas no PROCON em 2011 Microsoft adquire mais de 800 patentes da… AOL?! Facebook divulga lista dos jogos mais acessados por seus usuários em 2011 Só a Coca-Cola ganha: IBM, Microsoft e Google são novamente as marcas mais valiosas

Pin It on Pinterest