Escolha uma Página

morpheus

Romanos e realidade virtual combinam, aparentemente. Depois do Oculus Rift, que tem um nome latino, é a vez da Sony apresentar um headset de realidade virtual cujo nome homenageia o deus do sonho Morpheus, personagem do famoso poema de Ovídio. O anúncio foi feito ontem na GDC (Game Developers Conference) e os detalhes ainda são escassos, mas o produto parece promissor.

Como a versão mais nova do Oculus Rift, o Morpheus é composto por uma tela de resolução 1080p e por uma série de sensores que registram tanto a orientação quanto a posição da cabeça do usuário. No caso do modelo de desenvolvimento anunciado pela Sony, o acompanhamento dos movimentos será feito por sensores inerciais em conjunto com a PlayStation Camera, que supostamente seriam capazes de registrar 100 vezes por segundo movimentos em 360 graus.

Há, contudo, um ponto importante no qual ele é inferior ao Oculus Rift: o campo de visão da tela é de apenas 90 graus (contra aproximadamente 110 graus no Oculus Rift). Outra questão é que o painel do Morpheus usa LCD. A Sony faz boas telas de LCD, mas o tempo de resposta mais curto do OLED o torna mais adequado para um painel que fica tão próximo dos olhos. De qualquer maneira, essas especificações se referem apenas ao modelo que será entregue para desenvolvedores de games. Ou seja, o produto final pode ser bem diferente (e melhor).

Curiosamente, o ponto mais inovador do Morpheus está no áudio e não no vídeo. A Sony está desenvolvendo um sistema de áudio que se aproveita de gravações binaurais, criando um efeito de som tridimensional sem precisar de um grupo de caixas de som externas. Todos os gamers teriam muito a ganhar se os desenvolvedores de jogos se interessassem mais por essa técnica de gravação, mesmo aqueles que não comprarem o headset da Sony.

Quanto aos jogos em si, a Sony pretende usar seus estúdios de desenvolvimento como pioneiros da tecnologia, mas trabalhar com outros produtores também está nos planos. Durante o anúncio, Shuhei Yoshida (presidente global da Sony) citou uma experiência de realidade virtual com God of War: “Quando olhei para baixo, vi que meu corpo era  o corpo de Kratos.” Nem consigo imaginar como God of War funcionaria em primeira pessoa e acho que uma versão de realidade virtual para esse jogo seria um tanto perigosa para qualquer pessoa que estivesse na mesma sala que o jogador, mas a ideia não deixa de ser interessante. A CCP também já está trabalhando em uma versão para PlayStation 4 do EVE Valkyrie, que foi originalmente desenvolvido para o Oculus Rift.