Robocular

Uma maça vira um modelo 3D em instantes – Imagem: Divulgação

Quem nunca teve acesso a uma impressora 3D precisa estar atento a duas premissas básicas. A primeira é que impressora 3D não faz o produto final. Ela faz um protótipo (por isso a impressão costuma ser chamada de prototipagem). É claro que em muitas situações os produtos finais são tão perfeitos que podem ser encarados como produtos finais. E segunda é que não há modelos prontos para atender todas as suas demandas, apesar dos repositórios de peças modeladas se multiplicarem aos montes. Neste caso, você certamente vai encarar uma modelagem 3D em programas como o Autocad, Sketchup ou até softwares mais simples como o Cubify Invent.

E onde entra a digitalização? Simples! Para não ter que modelar existem diversos exemplos de hardware que pela captura de feixes de laser (geralmente verde) refletidos em um objeto alvo, mapeiam todos os pontos. Este conjunto de pontos viram um modelo pronto para impressão (em formato STL). A Robocular é um projeto destes que tenta financiamento pelo Kickstarter.

Robocular-Modeling

Objeto original ganha chapéu em modelo digitalizado – Imagem: Divulgação

Criada em 2012 a digitalizadora é capaz de capturar cerca de 4000 fotos do objeto ou cerca de 2 a 3 milhões de pontos, por rotação da peça. São dois modelos disponíveis por enquanto. O menor suporta uma peça com 18 x 18 centímetros. A digitalizadora maior suporta 23 x 23 centímetros. O preço dos digitalizadores são 599 dólares e 679 dólares respectivamente. Se depender deste preço ela não será tão caseira quanto os criadores imaginam. Ainda é mais vantajoso utilizar um sensor como o Microsoft Kinect e um software de terceiros que gere o modelo (através da tecnologia Kinect Fusion).

Pin It on Pinterest