A gigante Sony vive um momento difícil. Com dificuldade para fazer frente ao avanço das coreanas LG e Samsung, além de não conseguir emplacar nenhum produto para competir com os dispositivos móveis da Apple, o conselho administrativo da empresa finalmente resolveu agir: escolheu o japonês Kazuo Hirai, de 51 anos, para assumir a presidência da empresa a partir de abril.

A escolha é bastante coerente: Hirai é um dos responsáveis por fazer com que a linha PlayStation se tornasse lucrativa, um feito e tanto se levarmos em conta que a Sony entrou no ramo de consoles na época em que Nintendo e Sega dominavam o mercado e que, atualmente, a empresa lida de frente com outro rival de peso: a Microsoft, com a linha Xbox.

Kazuo Hirai – Imagem por Wikipedia

Kazuo Hirai – Imagem por Wikipedia

O auge da atuação de Hirai aconteceu no lançamento do PlayStation 3 (PS3). Em meados de 2006, o executivo assumiu o lugar de Ken Kutaragi, principal nome por trás da criação da divisão PlayStation, depois que este declarou que a Sony teria mais de 2 bilhões de dólares de prejuízo no primeiro ano de mercado do PS3. O que Hirai fez? Renegociou com fornecedores, transferiu a divisão PlayStation para dentro da matriz da Sony e cuidou até de pequenos detalhes, como fazer o nome do PS3 ser pintado no console em vez ser escrito com letras de plástico.

A Sony precisa mesmo de alguém acostumado a lidar com desafios, pois os problemas atuais são sérios: a empresa deverá apresentar prejuízo de 2,9 bilhões de dólares no encerramento de seu próximo ano fiscal, que acontecerá em março.

Mas Kazuo Hirai se mostra determinado a dar a volta por cima. Seus planos para isso incluem: reforçar os negócios mais lucrativos da Sony (jogos e fotografia); unificar a divisão de TVs; revisar o leque de produtos para focar naqueles mais lucrativos; e aumentar os investimentos em pesquisa e desenvolvimento para ampliar a atuação da empresa, de forma que ela possa ter maior participação no segmento de equipamentos médicos, por exemplo.

O britânico Howard Stringer, atual diretor-presidente da Sony, assumiu o cargo em 2005 com o mérito de ser o primeiro não japonês a comandar a companhia. Isso talvez fizesse a Sony reforçar a sua atuação no ocidente, no entanto, se isso aconteceu, ao mesmo tempo fez com que a empresa perdesse o entrosamento no Japão. Howard Stringer perderá o cargo, mas continuará membro do conselho administrativo da Sony.

Referências: The Wall Street Journal, The Verge.

Notícias relacionadas: A Sony Ericsson agora é só da Sony Sony anuncia recall de 1,6 milhão de televisores da linha Bravia Sony Ericsson passará a ser somente Sony em 2012 CES: Sony lança seu primeiro smartphone sem a marca “Sony Ericsson” Na Europa: Sony lançará tablets S e P em setembro

Pin It on Pinterest