Se você comprou um smartphone no ano passado, é quase certo que você esteja andando com uma máquina da ARM ou da Qualcomm no bolso. O sucesso do system-on-a-chip Snapdragon no campo dos celulares se deveu principalmente à eficiência energética do conjunto e à integração de bandas de rádio ao SoC. Ao anunciar o Snapdragon 600 e o Snapdragon 800, contudo, a empresa focou os holofotes na questão do desempenho.

A grande novidade está nos núcleos de CPU Krait 300 e Krait 400. O primeiro é uma evolução natural do Krait anterior e utiliza o mesmo processo de fabricação de seu antecessor. A maior diferença está no clock, que pulou de um máximo de 1,5 GHz para 1,9 GHz. Agora o processador também é auxiliado por um circuito que transfere alguns dados preventivamente para o cache de memória L2.

O Krait 400, por sua vez, leva todas as melhorias do Krait 300 a um novo processo de fabricação. Embora a litografia mantenha o mesmo tamanho de die (28 nm), a maneira como o circuito é construído torna o acesso ao cache L2 ainda mais rápido e aprimora a eficiência energética do processador. O Krait 400 também tem um clock máximo maior, de 2,3 GHz.

O melhor dos SoC anunciados, intitulado de Snapdragon 800, une quatro núcleos Krait 400 a uma GPU Adreno 330 que, segundo à Qualcomm, é 50% mais poderosa que a Adreno 320.

 

Via Anandtech.

Pin It on Pinterest