Pesquisadores da Universidade de Stanford desenvolveram um material sintético capaz de se regenerar após ser rasgado.

O material é formado por polímero plástico com partes de níquel. Ele é constituído por uma longa cadeia de moléculas conectadas por ligações de hidrogênio.

Esta conexão é relativamente fraca e permite que as moléculas se separem facilmente. A condutividade do metal então ajuda as ligações a se regenerarem e, por conta de sua flexibilidade, restaura a estrutura em até 30 minutos.

Os pesquisadores pretendem utilizar este material para o desenvolvimento de futuras próteses, fiação elétrica ou mesmo para proteger a tela de smartphones.

Pin It on Pinterest