Imagem ilustrativa de celularAs esperadas melhorias nos serviços de telefonia celular por conta da recente suspensão das vendas de planos das operadoras Claro, Oi e TIM somente serão perceptíveis no prazo de seis meses, na opinião de Bruno Ramos, superintendente de Serviços Privados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), entidade responsável pela decisão.

Isso, é claro, se as operadoras apresentarem um plano de readequação dentro de até 30 dias e, logo em seguida, iniciarem a sua execução. Este plano, que deve considerar principalmente ampliação de infraestrutura e investimentos no atendimento ao cliente, é a exigência da Anatel para suspender a proibição.

As operadoras não perderam tempo e já estão se reunindo com representantes da Anatel para tratar do problema e apresentar os planos. No entanto, de acordo com Bruno Ramos, nada do que foi entregue até agora pelos executivos das companhias se mostra suficiente.

A reunião realizada nesta quinta-feira (19/07/2012) com a TIM, empresa que está em situação mais crítica – suas vendas estão proibidas em 18 estados mais o Distrito Federal –, foi tida como a mais “tensa”, tanto que, após o encontro, a operadora anunciou sua intenção de entrar com uma ação na Justiça para anular a proibição.

Como se vê, trata-se de uma “novela” que ainda terá muitos capítulos.

Referências: Agência Brasil, Reuters.

Notícias relacionadas: Decisão judicial impede Anatel de transmitir julgamentos de operadoras de telefonia Sindicato das operadoras de telefonia se manifesta contra punição da Anatel Para dobrar número de antenas, operadoras de telefonia celular consideram até disfarçá-las Serviços da GVT, Vivo e TIM falham no Sul e Anatel fala em apuração Anatel: operadoras devem oferecer ferramenta que mede velocidade de banda larga fixa

Pin It on Pinterest