Sony-Xperia-Z1

Processador Snapdragon 800 de quatro núcleos rodando a 2,2 GHz e Android 4.2 – Imagem: INFOlab

Anunciado oficialmente no Brasil hoje, o smartphone Sony Xperia Z1 chega para disputar espaço entre os melhores smartphones disponíveis aqui. O acabamento, a tela e principalmente a câmera são seus principais ingredientes.

A câmera é definitivamente seu principal chamariz. O Sony Xperia Z1 traz um sensor de 1 / 2,3 polegadas – o mesmo tamanho tipicamente utilizado em câmeras compactas dedicadas. A resolução máxima deste aparelho chega a estonteantes 20,7 megapixels, perdendo em resolução apenas para o Lumia 1020 e para o Pureview 808, dentre os smartphones. Com pouco uso notamos fotos com boa definição de cor, boa gama dinâmica, mesmo em modo automático. Mas dependendo da iluminação o ruído aparece. Para contornar, basta reduzir a resolução para 8 megapixels. Assim as imagens ficam bem acima da média em qualidade. Como é uma evolução natural do antecessor Z, agora há botão dedicado para disparo da câmera, mesmo com o aparelho bloqueado.

A Sony foi mesmo perspicaz em termos de usabilidade. Parte integrante do software da câmera estão funções que são mais comuns em aplicativos de terceiros. Por exemplo o AR Effect e o Info-Eye, que fornecem recursos de realidade aumentada, ou o Social Live que faz streaming direto para uma conta do Facebook.

A tela é um caso à parte. Graças a tecnologia Triluminous display (nanocristais que emitem luz em comprimentos de onda pré-determinados) a tela tem boa definição de cor, brilho intenso e fidelidade de cor ímpar (próximo do padrão sRGB). Pena que o angulo de visão não seja equiparável aos painéis IPS, mas a resolução de 1920 x 1080 pixels e tela de 5 polegadas fazem uma boa diferença.

Ricardo Junqueira, presidente da Sony, mostra o Z1 na water store do Shopping JK Iguatemi

Ricardo Junqueira, presidente da Sony Mobile no Brasil, mostra o Z1 na water store do Shopping JK Iguatemi

O corpo do smartphone é uma peça única de alumínio, com telas dos dois lados (vidro temperado). As laterais tem curvatura boa de segurar. Diferente do antecessor, o Z, o fone de ouvido agora não precisa de tampa de borracha para submergir (até 1 metro, por no máximo 30 minutos). As demais conexões precisam estar fechadas (caso contrário é prejuízo na certa).

Para demonstrar a resistência do Xperia Z1 aos mergulhos, a Sony montou uma water store no Shopping JK Iguatemi, em São Paulo. No espaço há um tanque envidraçado onde mergulhadores manuseiam o aparelho embaixo d’água. No local, mas fora da água, também ficam expostos outros equipamentos das linhas de smartphone e tablet e acessórios, como fones de ouvido, headsets e caixas de som com NFC.

Sony-DK-31

Conexão magnética para carregar o smartphone – Imagem: INFOlab

Um acessório que ainda não tem previsão de chegada no país, mas vale menção é a dock de carregamento, modelo DK31. É por isso que o aparelho tem contatos magnéticos na lateral. Aliás, são banhados a ouro para não enferrujarem caso você caia na piscina por um descuido (ou outros mergulhos menos amigáveis).

O preço sugerido do smartphone é 2399 reais. Ah! O aparelho chega com TV digital no padrão 1seg, uma exclusividade da versão brasileira. Mais detalhes da configuração e resultados dos nossos testes, vocês conferem na edição de Novembro da Revista INFO, muito em breve nas bancas. E posteriormente em Reviews, no site.

Pin It on Pinterest