Microsoft Surface aposta no uso horizontal

A grandiosidade no movimento da Microsoft ao desenvolver seu próprio tablet parece ter deixado o mercado de tecnologia com muitas expectativas e, mais ainda, dúvidas. Eis que temos a oportunidade de colocar as mãos nesta grande aposta. O Surface chegou ao INFOlab ontem e a primeira impressão é que ele tem construção sólida, boa conectividade e principalmente, dá uma utilidade extra ao conceito de tablet: serve como um notebook. Estranho é ele ter chegado na data em que o Steven Sinofsky deixou a Microsoft.

A carcaça, denominada VaporMg, lembra de leve um caderno com a capa amassada. Como assim? A tela é maior, a parte de trás menor e há uma quina na lateral que une os dois planos. Na parte de trás o tablet tem uma aleta ou tampa, que você abre para posicioná-lo em pé sobre a mesa – não requer acessório extra de apoio. É nesta posição que o principal acessório entra em ação. A capa com teclado sensível ao toque (Touch cover) se encaixa – com agressividade – e ele vira um laptop.

Touch cover "mão na roda" em ação.

Uma curiosidade que passou pela minha cabeça. O tablet tem o formato muito parecido com um gibi em formato americano (o tradicional comic book). As medidas são bem próximas: 17,2 cm x 27,4 cm do Surface, contra 17 cm x 26 cm do gibi. Após a constatação, fui com sede à loja de aplicativos procurar um leitor. Nada de Marvel ou DC Comics na loja. Baixei um leitor comum e exibi um Ghost Rider em formato CBR. Como esperado, a proporção da tela de 10,6 polegadas é boa, mas a experiência seria completa se fosse uma aplicação nativa.

Ah! O hardware é bacana. Um Tegra 3 de quatro núcleos a 1,3 GHz, 2 GB de RAM e 32 GB de armazenamento, expansível com SD. O Windows 8 RT (de 32 bits) é semelhante ao Windows 8 tradicional, exceto pelas limitações impostas pela arquitetura ARM. E vem com um pacote Office 2013 diminuto, com Excel, Word, OneNote e PowerPoint. Como é uma edição de demonstração do Office, surpresas estão por vir. Não dá para chamá-lo de final. Travou no primeiro uso.

No detalhe, as conexões do Microsoft Surface.

Continuaremos a testá-lo exaustivamente até nosso veredito final. Falta expô-lo a aplicativos, testar as conexões USB e microHDMI, testar a bateria, dedilhar nervosamente a touch cover, enfim, usar de verdade a solução. Você pode conferir o resultado na INFO de Dezembro. E posteriormente em nosso site, na seção Reviews.

Pin It on Pinterest