Lumia 900 com Windows Phone 8

O grande produto da Nokia para enfrentar o iPhone 5 e o Galaxy S III chegou ao Brasil pelas mãos do CEO da companhia, Stephen Elop, que fez sua primeira visita ao país esta semana para defender os novos smartphones da empresa.

Apresentado pela primeira vez há um mês, na Finlândia, o Lumia 920 começará a ser vendido na Europa no meio de novembro, por 600 euros, o que equivale a cerca de 1700 reais. No Brasil, o smartphone só chega no início de 2013, o que exclui o Lumia 920 das listas de desejos para o Natal deste ano.

A configuração do aparelho, de fato, é matadora e capaz de enfrentar em pé de igualdade seus rivais mais célebres – leia-se iPhone 5 e Galaxy S III. Com tela de 4.5´´ (menor que o S III) e conectividade 4G LTE na frequência brasileira (recurso não oferecido pelo iPhone 5), o Lumia 920 tem 1 GB de RAM, armazena 32 GB de dados e exibe o poderoso chip dual-core Qualcomm Snapdragon S4 de 1.5GHz. É, portanto, uma máquina poderosa.

Veja também:
– Nokia apresenta o Lumia 820 
– Nokia apresenta o Asha 308

Um dos grandes diferenciais do aparelho em relação aos competidores é a câmera de 8.7 MP. A Nokia assegura que é a melhor câmera já feita para um smartphone e a mais capacitada para captar boas imagens em ambientes com pouca luz.

Ainda não pudemos fazer um teste comparativo das câmeras no INFOlab, mas num teste rápido durante a exposição do aparelho em São Paulo, deu para perceber que, de fato, a captação de imagens com pouca luz é muito boa. O Lumia 920 exibe ainda um recurso para compensar o tremor das mãos ao batermos uma foto, o que eliminaria as comuníssimas imagens borradas que fazemos em shows, aniversários e outros eventos.

Outra novidade do 920 é a possibilidade de ser carregado por indução magnética. Você encosta o celular no carregador e ele ganha carga. Esta inovação já havia sido introduzida no mercado pelo saudoso Palm Pre, último “grande-produto-fracassado” da velha Palm, que acabou comprada pela HP em 2010.

Carregadores por indução. Você encosta o celular no carregador e ele ganha energia

A ideia é interessante e evita, por exemplo, que o celular não seja carregado quando não fixamos o plug do carregador corretamente na tomada. Mas a eficiência energética é bem menor, pois o processo magnético “desperdiça” 20% da energia. Ou seja, vai demorar um pouco mais para você dar uma carga no celular, se optar pelo carregador magnético.

Fizemos um teste bem rápido com o aparelho, já que a assessoria da Nokia limitou o uso do Lumia 920 pelos jornalistas durante sua apresentação. A principal razão para isso é que seu sistema operacional, o Windows Phone 8, só será lançado oficialmente na sexta-feira, dia 26 e seus recursos ainda são “secretos”.

De qualquer modo, podemos afirmar que se trata de um ótimo smartphone, com specs incríveis e, particularmente, com uma câmera superior a dos rivais. Esse é um diferencial relevante, pois muita gente ainda escolhe smartphone pensando em qual tem a melhor câmera.

O que determinará o sucesso ou o fracasso do Lumia 920 será a boa ou má aceitação do Windows Phone 8. Os sistemas operacionais móveis da Microsoft nunca decolaram e, assim como o Windows 8 para desktops, exige que o usuário “reaprenda” a explorar o Windows.

Em tese, o projeto da Microsoft é ótimo. Afinal, o Windows Phone 8 integra o SO do smartphone ao SkyDrive e serviços matadores da companhia de Bill Gates, como a rede Xbox Live e suíte Office. Mas é um fato inegável que a Microsoft (e a Nokia) chegaram atrasadas ao competitivo mercado de smartphones, já praticamente dominado por iPhones e Androids. Muita gente acostumada ao iOS e Android terá preguiça de se aventurar pelo Windows, navegar com Internet Explorer e trocar o Google Maps pelos Nokia Maps.

A menos que o Windows 8 com interface Metro (praticamente idêntica ao Windows Phone 8) seja um sucesso. A conferir.

Pin It on Pinterest