Leap-Motion

Leap Motion com acabamento digno de um produto da Apple – Foto: INFOlab

Por que um dispositivo tão pequeno pode desafiar a forma como interagimos com um sistema computacional? Com poucos minutos de uso no INFOlab, chegamos a um consenso. O Leap Motion é muito preciso e tão natural como apontar para um objeto que você deseja. Neste ponto de vista é muito promissor, mas é preciso entender um detalhe fundamental: seu estágio de desenvolvimento ainda é embrionário.

O Leap Motion é um dispositivo com dimensões de 3,0 x 8,0 x 1,1 cm, capaz rastrear a posição da ponta dos seus dedos ou a mão inteira por infravermelho (são três emissores e dois receptores). Reconhece também outros objetos pontiagudos, como uma caneta. Toda área em volta acaba virando uma grande tela sensível. A consideração é estranha, mas é isto mesmo. É como se a tela sensível ao toque fosse deslocada em um eixo ganhando volume. Então, seus dedos agem como uma ferramenta no espaço. Cada posição vira uma coordenada para interagir com o sistema.

Gestos circulares com Leap Motion

Gestos circulares com Leap Motion – Imagem: Divulgação

Esta iniciativa de deixar o mundo bidimensional de interface homem-máquina para o tridimensional tem alguns pontos negativos. Como os sensores ficam embaixo do movimento das mãos, a sobreposição de dedos não é captada. Outro detalhe é que nem todo mundo está disposto a passar horas fazendo gestos na frente de um computador.

Ele funciona através de um driver – disponível para Windows, OS X e Linux. Há um aplicativo de calibração e um visualizador de gestos, mas todo o software necessário faz parte de um programa de desenvolvimento fechado para pouquíssimas pessoas. É o caso dos brasileiros Jorge Proença e Fábio Colombini da plataforma de educação Kiduca. Eles conseguiram acesso ao dispositivo submetendo um projeto de um jogo educacional.

Leap-Motion-Macaculando

Fábio demonstrando como jogar o Macaculando usando o Leap Motion – Foto: INFOlab

Na primeira experimentação, o jogo de matemática chamado Kiduca Macaculando passou a ser comandado por um gesto com dois dedos, imitando uma arma. Basta apontar para o resultado correto de uma operação matemática que aparece na tela a mira. Depois fechar o dedo para disparar a arma virtual. Os profissionais estudam desenvolver novos jogos com física e profundidade de campo para chamar ainda mais a atenção das crianças.

Como a fase é inicial, são poucos os exemplos disponíveis. Mas isto deve mudar em breve. Em Julho começa a funcionar a loja de aplicativos Airspace. Os aplicativos custarão no mínimo 1 dólar e 70% desta receita ficará com o desenvolvedor. Além da pré-venda de mais de 600 mil dispositivos (cerca de 78 dólares), a empresa espera lucrar com o ecossistema que está se formando. Tomara que a ganância não acabe esgotando as possibilidades do Leap Motion.

Pin It on Pinterest