O pequeno iPad Mini chegou ao INFOlab e, nas primeiras impressões, o “iPad encolhido” parece um gadget muito interessante.

No geral, o design do iPad Mini é bem mais atraente do que o de seus antecessores. Com só 0,7 cm de espessura e pouco mais de 300 gramas, o tablet oferece boa pegada e, ao contrário de nossas suspeitas iniciais, é fácil operá-lo com uma única mão.

Com resolução de 768 por 1.024 pixels, a tela menor oferece maior densidade de pixels em relação ao iPad 2. No entanto, não há diferença perceptível na qualidade oferecida pelos dois modelos. Já em relação aos modelos com tela Retina, a situação é bem diferente.

De imediato, a primeira crítica à Apple é não contemplar o iPad Mini com uma tela de maior resolução. Mesmo que ainda indisponíveis no Brasil, há modelos de 7 polegadas com resolução full HD. Outro ponto é comum a todos os modelos de iPad: falta uma entrada para cartões microSD. Com modelos de 16, 32 e 64 GB, pode faltar espaço para os usuários mais exigentes.

Por enquanto, a oferta quase inexistente de acessórios para o novo conector Lightning pode causar transtorno. Em especial para quem já possui docs ou adaptadores HDMI para o conector de 32 pinos. A Apple oferece um adaptador que converte a Lightning para o conector antigo, mas ele ainda não é vendido no Brasil.

O review do iPad Mini será publicado na edição de janeiro da Revista INFO.

Pin It on Pinterest