Já há algum tempo, o campo das câmeras híbridas (câmeras sem espelho com recursos avançados) tem servido como o espaço favorito dos fabricantes para inovação. A Sony tenta encaixar sensores cada vez maiores em câmeras cada vez menores, a Nikon experimenta com processadores de imagem extremamente rápidos e a Fujifilm brinca com visores ópticos híbridos e matrizes inusitadas de cor. Neste último caso, a excelente X-pro1 foi a grande estrela da marca, apesar de seu preço proibitivo. A nova X-E1 é justamente uma alternativa um pouco mais acessível para quem se apaixonou pelo visual retrô da X-pro1.

A maior mudança prática de um modelo para o outro é evidente logo de cara: A X-E1 não possui o visor óptico misturado com visor eletrônico da X-pro1. Em seu lugar encontramos um visor eletrônico comum. Outra mudança exterior que talvez não seja óbvia nas fotos é que a X-E1 usa um corpo de plástico que é bem mais leve do que a carcaça de liga magnésio da sua antecessora (351g contra 445g).

Mas não se assuste. A essência da X-pro1 , ou seja, sua filosofia de controle baseada em anéis analógicos permanece intacta. Compensação, abertura e velocidade, assim como todos os outros fatores de exposição, ainda são ajustados da mesma forma antiquada (e charmosa) que na X-pro1. Uma diferença notável está na roda de abertura da lente, que agora pode ser girada livremente.

Lentes, aliás, são mais uma boa novidade que acompanha a X-E1. A X-pro1 havia sido lançada com apenas três opções de lente de distância focal fixa, o que restringia um pouco seu uso. A X-E1, por sua vez, vem acompanhada de uma objetiva zoom bem versátil (18-55 mm, f2.8/4). Além dessas quatro, já foi lançada mais uma grande angular de 14 mm, uma teleobjetiva zoom 55-200 mm e outras cinco lentes aparecerão no mercado até o começo de 2014.

Por dentro, a X-E1 mantém todo o arsenal da X-pro1. O destaque vai para o sensor de 16 MP APS-C X-trans, que, além de ser grande, utiliza um engenhoso filtro de matriz RGB que proporciona maior fidelidade de cor.

Como comentei no inicio deste post, a X-E1 é uma câmera mais acessível. No entanto, essa observação só é valida em comparação com a X-pro1. A nova câmera sai por 4999 reais.

Pin It on Pinterest