frostbit

Máquina de cálculos Frostbit – Imagem: Divulgação

A cada dia que passa, a dificuldade em minerar (processo computacional para obter a moeda virtual Bitcoin) aumenta consideravelmente. Esta é a forma que o criador encontrou para sustentação econômica da moeda até 2140. Com a dificuldade escalando é normal vivenciarmos uma reação contrária. Neste caso, a reação se chama Frostbit 1000.

Frostbit 1000 é uma máquina customizada que só executa os cálculos matemáticos da moeda Bitcoin. Ela tem capacidade de executar 1000 GH/s (giga hashes por segundo). São três núcleos, acessíveis individualmente através três portas USB 3.0. A novidade não está só nos núcleos ASIC+. Ela é a primeira máquina a ter um sistema de refrigeração com nitrogênio líquido de fábrica. Operando no máximo o consumo não ultrapassa 2800 Watts. Há LEDs para indicar se ela está operando corretamente (verde e azul para operação normal e amarelo para alertar sobre algum problema).

frostbit internals

No interior está o mecanismo responsável pela refrigeração – Imagem: Divulgação

O firmware receberá atualização e poderá ter a performance melhorada significativamente. Já que, por uma questão de segurança, os núcleos operam com 60% da sua capacidade. Futuramente será possível utilizar a máquina para processamento de vídeo, isto é, a máquina terá outra utilidade.

O aparelho customizado tem garantia de 3 anos e se falhar por defeito, a empresa Cryoniks garante uma unidade funcionando, enquanto a sua é reparada. Tamanha mordomia e potência nos cálculos custa muito caro. A pré-venda está em 15 mil dólares (sem contabilizar impostos e despesas de envio). Além de caro, em um mercado incerto como este, é muito arriscado comprar algo assim.

Quem quiser entender mais sobre a moeda pode procurar a Revista INFO deste mês (edição 329) nas bancas.

Pin It on Pinterest