A Microsoft iniciou a semana desembolsando nada menos que 1,2 bilhão de dólares pelo Yammer, uma espécie de rede social com foco no segmento corporativo. O serviço foi lançado em 2008 e, apesar de não receber muito destaque da mídia (pelo menos no Brasil), acumula atualmente mais de 5 milhões de usuários.

Microsoft + Yammer

O que muita gente se pergunta é: por que a Microsoft se dispôs a pagar mais de 1 bilhão de dólares por uma rede social que, a princípio, nem é tão conhecida assim? A resposta é simples: para expandir as ferramentas corporativas que oferece – o Yammer se mostra como um excelente complemento ao SharePoint, por exemplo.

Neste sentido, o Yammer conta há tempos com uma extensão que o integra ao Outlook e ao SharePoint, fazendo com que estes tirem proveito de seus recursos sociais (criar grupos, iniciar conversações, entre outros) para acelerar a comunicação interna, reduzindo, ao mesmo tempo, o número de e-mails trocados entre os colaboradores, por exemplo.

Mas, se o Yammer foi adquirido para complementar as ferramentas de produtividade da Microsoft – incluindo aí o Office 365 e o Microsoft Dynamics –, o que acontecerá com os clientes que não utilizam os recursos desta última? De acordo com a turma de Redmond, o Yammer continuará, pelo menos por algum tempo, oferecendo seus serviços de maneira independente, permitindo inclusive que interessados em experimentar a rede continuem criando contas gratuitas.

Notícias relacionadas: Microsoft começa a liberar acesso à So.cl, sua rede social para estudantes LEGO cria Rebrick, sua própria rede social Microsoft adquire mais de 800 patentes da… AOL?! Google vai às compras e adquire Meebo e Quickoffice Rede PlayStation Network passará a se chamar Sony Entertainment Network

Pin It on Pinterest