filtrossobrefiltros

Roger Cicala, idealizador do concurso, brincando com filtros de lente

Ao admirar os retratos surreais de Diane Arbus ou as paisagens inesquecíveis de David Muench, poucos se lembram dos engenheiros que tornaram essas imagens possíveis com suas lentes e câmeras. Mas o momento de glória para os geeks do mundo da fotografia finalmente chegou. A LensRentals está organizando um concurso de foto diferente: a validade artística das imagens não importa, ganha quem melhor demonstrar a qualidade técnica da sua lente. Em outras palavras, estamos falando de fotos excitantes de paredes, papéis com marcas milimétricas e um ou outro bigode de gato. A diversão de participar já bastaria, mas a LensRentals também distribuirá prêmios muito mais interessantes que qualquer Pulitzer.

Antes de começar a comentar os detalhes do concurso, vamos listar as regras básicas. A LensRentals receberá imagens até o dia 15 de Novembro pelo e-mail contests@lensrentals.com. Qualquer um pode participar, mas os prêmios só serão enviados para endereços no território dos Estados Unidos. Todas as fotos devem estar no formato JPG e devem ser acompanhadas de um texto anunciando em qual categoria elas competirão. Você também pode incluir uma explicação do que torna a sua imagem uma boa candidata para a categoria na qual você competirá. As fotos que já foram aceitas podem ser vistas neste link. Agora vamos ao que interessa, as categorias são:

1. O canto mais agudo – A agudeza é uma das características mais importantes de qualquer objetiva, mas porque essa preocupação especial com os cantos? Porque  em qualquer lente, mesmo em uma lente “perfeita”, o centro da imagem é sempre mais agudo que a periferia. A capacidade da objetiva de manter o contraste ao longo do plano de imagem é uma das formas mais simples de distinguir quais são as melhores lentes. As fotos dessa categoria devem refletir exatamente essa qualidade.

Um diagrama MTF da Eckhardt Optics mostra como a transferência de constraste diminui do centro para a periferia em uma lente perfeita

Um diagrama MTF da Eckhardt Optics mostra como a transferência de constraste diminui do centro para a periferia em uma lente perfeita

Normalmente, esse tipo de teste é feito tirando fotos de papéis marcados ou de sujeitos simples, como paredes de tijolos ou grades. A LensRentals resolveu aumentar o grau de dificuldade ao proibir esse tipo de imagem. A foto deve demonstrar o grau de resolução periférica em um enquadramento de mundo real. Ironicamente, o prêmio para o vencedor dessa categoria é uma Lensbaby (para qualquer mount), um tipo de acessório que serve para mudar o ponto do frame em que a lente é mais aguda.

lensbaby

Uma Lensbaby

2. Bokehlicioso – Conforme a abertura de uma lente aumenta, aumenta também o número de raios não colimados que passam pelo sistema óptico, o que torna a imagem capturada progressivamente mais embaçada conforme nos afastamos do plano focal. A qualidade estética dessas zonas fora de foco é o que chamados de “bokeh”. Dependendo de uma série de fatores (o número de lâminas do diafragma, por exemplo), o bokeh muda de formato e intensidade.

Em "Tristeza" (tirada em 1864) a genial Julia Margaret Cameron nos ensinava o valor criativo do desfoque. Note o também o bokeh do plano de fundo

Em “Tristeza” (tirada em 1864), a genial Julia Margaret Cameron nos ensinou o valor criativo do desfoque. Note  também o bokeh do plano de fundo

Como qualquer nerd que se preze, o geek de fotografia leva esse efeito trivial muito a sério  e por essa razão a LensRent vai premiar o bokeh mais delicioso com uma lente Baush & Lomb Tessar produzida no começo do século passado. Como essa objetiva é muito antiga, o futuro vencedor precisará criar o seu próprio mount para usá-la em uma câmera atual. Quem conseguir reproduzir o bokeh na imagem inteira ganhará pontos extras.

BaushLomb

Essa lente foi produzida com uma licença da Zeiss, daí a marca Tessar. Note o número de lâminas do diafragma

3. O efeito 3D de um gráfico 2D – Essa categoria é uma tremenda brincadeira. Como comentei acima, os testes de agudeza periférica são uma das obsessões dos geeks de fotografia e esse tipo de análise normalmente depende fotos de cenas planas. Outro efeito óptico que encanta qualquer nerd de foto é a impressão de profundidade que que algumas lentes produzem nos pontos mais agudos da cena. Neste desafio, o fotógrafo precisa combinar ambos: tirar uma foto que mostre profundidade de campo impressionante em um enquadramento típico de um teste de agudeza periférica. Naturalmente, o prêmio é uma folha de teste de resolução, completa com marcações sagitais e meridionais.

teste

4. Maior número de acessórios entre a câmera e a lente – Nada é mais geeky do que usar configurações extremamente específicas de ferramentas comuns. No caso da fotografia, isso envolve instalar filtros, teleconversores, tubos de extensão e outros apetrechos para resolver algum problema obscuro. Todos esses acessórios podem deixar a câmera com um aspecto absurdo, como na primeira foto deste post. Portanto, nessa categoria, você deve enviar uma foto tirada com a câmera Frankenstein que você inventou e uma foto do próprio monstrinho.

Lentes macro costumam ser muito caras. Uma alternativa mais econômica é usar um anel de reversão para montar sua lente ao contrário. Foto de Szabolcs Vass

Lentes macro costumam ser muito caras. Uma alternativa mais econômica é usar um anel de reversão para montar sua lente ao contrário. Foto de Szabolcs Vass

Para definir “acessório”, o pessoal da LensRental estabeleceu que qualquer qualquer coisa que puder ser acoplada entre a lente e o corpo da máquina é válida desde que o arranjo bloqueie a luz externa. Usar fita isolante é sim uma estratégia válida. O vencedor dessa categoria ganhará quase 1 kg de elementos ópticos para montar sua própria objetiva.

lentes

5. Melhor foto de coisas dentro de uma lente – Objetivas normalmente são vedadas. Normalmente. Como qualquer equipamento que recebe uma boa dose de ar livre, todo tipo de coisa pode acabar penetrando entre as lentes. Não é incomum, por exemplo, que algum tipo de fungo cresça dentro da objetiva , mas qualquer ser vivo que aprecie lugares compactos e escuros vai gostar do interior de uma lente. O prêmio desta categoria é óbvio:  a LensRentals se compromete a remover o objeto e limpar a lente.

Um dos participantes do Photogeek teve sua 50 mm f1.8 invadida por baratas

Um dos participantes do Photogeek teve sua Nikkor 50 mm f1.8 invadida por baratas

6. Maior distorção corrigida por software – Toda lente tem defeitos, a questão é o quão perceptíveis eles são na foto final. Mas mesmo quando os defeitos são óbvios, sempre é possível disfarçar um pouco com algum software de edição de imagem. Concorrentes nessa categoria deverão enviar tanto a foto original quanto a processada. Apropriadamente, o vencedor ganhará uma objetiva pinhole para fotografar à moda antiga (e por “antiga” eu quero dizer “mais velha que Aristóteles”. Como a pinhole não possui uma lente para mudar a direção dos raios de luz, elas está virtualmente livre de distorções espaciais. De qualquer maneira, quem usa uma dessas é obrigado a manter a velocidade do obturador bem baixa e a difração continua sendo um problema.

holga pinhole

 

7. Demonstração de gama dinâmica – Saindo um pouco do domínio da óptica, essa categoria foca na habilidade do sensor de variar entre pontos claros e escuros em um mesmo enquadramento. Em geral, o contraste de uma câmera é ditado pelo tamanho do sensor e pela densidade de fotodiodos do mesmo. Fazendo uma analogia, cada pixel é como um balde que coleta fótons. Se o “balde” for pequeno, um número igualmente pequeno de fótons poderá saturá-lo. A partir do momento da saturação, o pixel/balde se torna incapaz de coletar mais informação e, portanto, não pode representar um grau maior de luminosidade na foto. O ganhador dessa categoria levará duas camisetas mais nerds que já vi: uma que faz um trocadilho entre “bygones” e “Biogons” (um design de lentes da Carl Zeiss) e outra que brinca com a lei da refração.

camisetas

 

8. Melhor foto com uma câmera que não filma – É da natureza do geek ser um pouco elitista. Entre os fotógrafos, sempre há aquele sujeito que não entende como podem existir pessoas no mundo que queira usar uma DSLR para gravar vídeos. Essa é a categoria feita pensando nele: tirar a melhor foto possível em uma câmera digital que não tenha nenhuma função de vídeo. A única regra é manter o EXIF da imagem intacto para que os jurados possam saber qual é o modelo da câmera. Uma máquina analógica seria perfeita para esse tipo de fotógrafo e por essa razão o prêmio da categoria é uma Konstruktor da Lomo.

konstruktor

 

9. Hors catégorie – A última categoria do Photogeek é, como o próprio nome indica, “sem categoria”. Mas antes de preparar o seu Instagram, preste atenção: o espírito Photogeek deve ser preservado. Nenhuma foto com pretensões artísticas ou jornalísticas será aceita. A ideia é mostrar toda a sua “nerdisse” no campo da produção de imagens com alguma foto que não se encaixe nas categorias acima. O vencedor poderá escolher entre qualquer dos prêmios já citados.

Além da hors catégorie, o grande vencedor do Photogeek, ou seja, o maior geek de fotografia do ano, levará o maior dos prêmios: uma Zeiss 21 mm f2.8 dissecada. A lente em si é fabulosa, mas o interessante mesmo é ver como a Zeiss organiza os elementos ópticos em seu interior. Certamente um troféu que qualquer um invejaria.

zeiss cortada

Pin It on Pinterest