Telas digitais são excelentes para muitos propósitos, mas quando o assunto é representar cores que serão impressas no papel, a maioria só serve para desperdiçar árvores. Existem muitos espaços de cor RGB, alguns deles criados especificamente para criar uma ponte entre a cor digital e o CMYK da tinta das impressoras, como é o caso do Adobe RGB. No entanto, a maioria dos monitores não é capaz de representar todas essas sutilezas. Não é o caso do ThinkVision LT3053p, cujo processador de 14 bits é capaz de pintar mais de 1 bilhão de tons, cobrindo 99% da gama de cor do Adobe RGB.

O ThinkVison também merece atenção por ser um painel IPS-AH de 30″ com resolução de 2560 x 1600 pixels.  Outro recurso bem legal que ele oferece é a possibilidade de receber mais de um sinal de vídeo ao mesmo tempo. O sinal secundário pode ser exibido em uma janela independente, como no picture-in-picture das TVs. Apesar de todas essas vantagens, o destaque ainda é o processador.

Elogiar um chip de 14 bits pode parecer loucura nos dias de hoje. Afinal, há anos placas de vídeo de entrada já suportam 30 bits de profundidade de cor. No entanto, estamos falando do monitor em si: o sinal que saí da GPU precisa ser interpretado pela LUT (Look-up Table) da tela para aparecer de fato. É aí que está o gargalo, pois a esmagadora maioria das telas digitais utiliza LUTs de 8 bits. Essencialmente, isso quer dizer que esses displays exibem 28 valores independentes de verde, vermelho e azul, o que resulta em uma variação de 0 a 255 para cada canal de cor. Lembra dos 16 milhões de cores que toda propaganda de smartphone ostenta? Esse número é o resultado da multiplicação entre os valores de verde, vermelho e azul em uma tela de 8 bits (ou seja, 256*256*256).

É claro que as telas de notebook e smartphone não são piores por causa disso. A principal vantagem dos monitores com ampla gama de cor é justamente a possibilidade de representar vários espaços de RGB, como comentado acima. Ou seja, esse monitor é uma ferramenta para artistas profissionais que precisam de flexibilidade e precisão excepcional. Por outro lado, em outros contextos além dos monitores, LUTs com mais bits têm vantagens que podem eventualmente alcançar um público maior. Além de ser mais precisa, a codificação de cor em 10 bit é mais eficiente por tornar os arquivos de imagem relativamente menores. Não por acaso, o 10 bit é um padrão cada vez mais popular entre os amadores que recodificam filmes e séries na internet (para usar um eufemismo). A iminência dos vídeos em 4K também levou a MPEG a finalmente incluir o 10 bit nas especificações do H.265 para poupar espaço.

O ThinkVision começa a ser vendido em Abril nos Estados Unidos e seu preço será 1599 dólares.

 

Via Dpreview.

Pin It on Pinterest