cubox

Os mini-PCs são a grande tendência para desktops pelo menos desde a temporada de verão de 2012, mas ainda estamos muito longe de ver alguém como a Anna Wintour usando um Raspberry Pi. Se você também tende mais para o lado Jony Ive do que para o lado Richard Stallman no espectro da moda tecnológica, o novo CuBox-i deve satisfazer as suas exigências estéticas  melhor do que o verde PCB que costuma dominar esse segmento. Mas quem só se importa com as entranhas também não vai se decepcionar.

Baseado no chipset i.MX6, o modelo mais básico utiliza um núcleo ARM de 1 GHz, acompanhado de uma GPU GC880 e de 512 MB de DDR3. Mas parte mais interessante do CuBox-i é que a configuração é escalável. Quem se interessar por um modelo pode customizar a quantidade de núcleos ativos (até um máximo de 4), a GPU, a memória, e até mesmo os tipos de I/O (como SATA, Wi-Fi e etc.). Existe, inclusive, uma opção de modelo com relógio de tempo real, um recurso raro entre os PCs nessa faixa de preço. O modelo mais barato sai por apenas 45 dólares, enquanto o mais caro totaliza 135 dólares quando somamos o valor da máquina ao de uma fonte externa e ao de um cartão SD de 4 GB.

Todos os modelos vêm com HDMI 1.4, saída de áudio SPDIF, leitor de cartão e ethernet. E todos, é claro, têm o mesmo formato de cubo com 2″ de aresta (cerca de 5 cm). Eles também são acompanhados de um SDK open source para facilitar o desenvolvimento. As máquinas podem rodar tanto Android quanto outros sistemas baseados em Linux. Não tenho dúvidas de que ele pode ser transformado em um belo servidor de mídia.

Pin It on Pinterest