Além de finalmente ter mostrado o PlayStation 4 (PS4), a Sony revelou detalhes importantes sobre o console em sua apresentação na feira de games E3, durante a noite de ontem (10/06/2013). O resultado foi animador: a empresa soube atacar os principais pontos fracos do Xbox One, da rival Microsoft, criando um clima de disputa que há tempos não se via. Duvida? Então veja a seguir algumas comparações entre as principais características dos dois consoles.

Xbox One versus PlayStation 4

Hardware básico

Xbox One PlayStation 4
CPU AMD de 8 núcleos (arquit. Jaguar) CPU AMD de 8 núcleos (arquit. Jaguar)
8 GB de memória RAM 8 GB de memória RAM
GPU AMD Radeon GPU AMD Radeon
Leitor de Blu-ray / DVD Leitor de Blu-ray / DVD
HD de 500 GB HD de 500 GB
Ethernet, Wi-Fi 802.11n, Wi-Fi Direct Ethernet, Wi-Fi 802.11n, Bluetooth 2.1
USB 3.0, HDMI USB 3.0, HDMI

 

Permitirá revenda ou empréstimos de jogos?

– Xbox One: permitirá, mas exigirá que o jogador transfira a sua licença do jogo para a outra pessoa, de forma que o game só possa ser executado em um console por vez (no caso de jogos obtidos por download). Além disso, o usuário que receber o título deverá fazer parte da lista de contatos do primeiro jogador. A revenda de títulos poderá ser permitida, mas este controle dependerá do desenvolvedor ou distribuidor do game;

– PlayStation 4: permitirá, sem exigir transferência de licença, registro do usuário ou qualquer outra forma de controle. De maneira “nada provocativa”, a Sony até criou um vídeo ensinando como emprestar jogos de PlayStation 4:

Terá bloqueio regional?

– Xbox One: sim, embora não esteja claro se o bloqueio regional existirá em todos os jogos ou se será opção dos desenvolvedores, tal como já acontece com o Xbox 360. Este tipo de bloqueio, vale esclarecer, impede que um jogo criado para rodar em determinada região (Japão, por exemplo) execute em consoles de outra (como a América do Sul);

– PlayStation 4: tal como no PlayStation 3, a Sony confirmou que o PS4 não terá qualquer tipo de restrição por região.

Acesso obrigatório à internet?

– Xbox One: sim. O box One exigirá que o usuário conecte o console à internet pelo menos uma vez a cada 24 horas, do contrário, a execução de jogos não será permitida. Com isso, a Microsoft poderá verificar se o dispositivo está atualizado, se está tudo certo com as licenças dos jogos e assim por diante. Esta é, sem dúvida, uma das características mais criticadas do Xbox One;

– PlayStation 4: não. O usuário só terá que se conectar à internet caso queira participar de disputas on-line, obviamente. No mais, não há qualquer tipo de obrigatoriedade.

Jogos exclusivos

Eis alguns títulos já confirmados como exclusivos para cada console:

Xbox One PlayStation 4
Forza Motosport 5 Knack
Killer Instinct Killzone: Shadow Fall
Dead Rising 3 The Dark Sorcerer
Crimson Dragon The Order 1886
D4 #DRIVECLUB
Project Spark Infamous: Second Son

Preços e disponibilidade

– Xbox One: lançamento previsto para novembro de 2013 em 21 países, incluindo o Brasil. Preço sugerido de 499 dólares – 2.199 reais no Brasil. O pacote inclui um console com 500 GB, um Kinect de nova geração e um joystick Xbox One Wireless;

– PlayStation 4: lançamento previsto para novembro ou dezembro de 2013. Preço de 399 dólares. O pacote inclui um console de 500 GB e um joystick DualShock 4. A câmera PlayStation 4 Eye (equivalente ao Kinect), por sua vez, será vendida separadamente pelo preço sugerido de 59 dólares.

* * *

Como é possível perceber, ambos os consoles são bastante parecidos, tecnicamente falando. Mas o PlayStation 4, pelo menos até o momento, está levando grande vantagem. Isso se deve a um único e simples motivo: a Sony não complicou as coisas.

Além das limitações mencionadas aqui, o Xbox One esbarra no excesso de recursos: o console aceita comandos por voz, está integrado ao Skype, possibilita verificação da programação de TV (nos Estados Unidos, pelo menos), entre outros. Na primeira olhada, são funcionalidades interessantes, mas que na verdade deixam o usuário inserido tempo por demais no ecossistema da Microsoft e, convenhamos, ninguém gosta de se sentir “preso”.

Mas a “guerra” acontecerá mesmo quando ambos os consoles já tiverem se firmado no mercado. Aí sim poderemos avaliar a qualidade dos jogos, o desempenho dos consoles, a real utilidade dos novos recursos e assim por diante. Até lá, o negócio é observar como e se a Microsoft reagirá para lidar com a simpatia tão bem conquistada pelo PS4 na noite de ontem.

Emerson Alecrim

Pin It on Pinterest