ax100

“4K” é a palavra de ordem desta CES 2014, mas há pouca utilidade para TVs e monitores de resolução altíssima enquanto a produção de conteúdo não acompanhar esses desenvolvimentos. Se a TV aberta em geral ainda rasteja com transmissões em 720p/1080i codificadas com bitrate baixo, pelo menos o número de eletrônicos capazes de gravar em 4K está aumentando. Uma das mais novas adições à essa família é a filmadora AX100, uma camcorder com recursos avançados e um preço um pouco mais acessível: 2 mil dólares.

É claro essa quantia não é pequena, mas a AX100 vai muito além dos vídeos em 4K  de uma HERO3 ou de um Galaxy S Note III. Estamos falando de uma câmera equipada com um sensor de 1″, que se sai melhor em cenas escuras e pode desfocar o fundo com um bokeh bem agradável. O processador de imagem é um BIONZ X, responsável por codificar os vídeos 4k em XAVC (um codec versátil baseado no perfil mais avançado do H.264) a 30 ou 24 FPS. É provável que a bitrate não seja muito alta, contudo, porque a câmera usa cartões SD comuns como forma de armazenamento. Ainda assim, é excitante pensar no tipo de resultado que um downscale do UHD para 1080p pode produzir. As possibilidades de edição são enormes: estabilizar a imagem, alterar a proporção do frame, etc.

Como costuma ser o caso nas máquina da Sony, a lente leva a marca da Carl Zeiss. Trata-se de uma objetiva zoom muito versátil, que começa na faixa da grande angular, com 29 mm de distância focal equivalente, e se estende até os 348 mm (ou seja, ela tem um zoom de 12x).  Velocidade também não é um problema: a abertura varia entre f/2,8 e f/4,5, dependendo da distância focal. Claro, a AX100 é uma camcorder, o que também implica que a lente não é intercambiável, mas creio que o público de entusiastas que a Sony pretende atingir deve se satisfazer com essas especificações.

Uma característica um tanto incomum da objetiva é que ela vem com três níveis de filtro de densidade neutra embutidos. Isso quer dizer que o usuário pode escurecer a cena deliberadamente para usar ajustes de imagem que normalmente causariam superexposição. É possível, por exemplo, usar uma velocidade baixa durante um dia ensolarado sem alterar a abertura para criar um efeito de motion blur.

Além da filmagem em 4K, a AX100 é capaz de gravar em 1080p a 60 FPS ou em 720p a 120 FPS. Outras características que merecem atenção são o viewfinder com 3,5″ de OLED e a presença de conexões como Wi-Fi e NFC. Quem sonha em ser um documentarista também vai adorar saber que ela pesa apenas 790 g.  Assista a um vídeo com imagens capturadas pela filmadora:


Pin It on Pinterest